sábado, 20 de outubro de 2012

O astrólogo




big bang


 
Por anos desenhou e descortinou o céu de muita gente.
Hoje picota estrelas, planetas, pontos e se desfaz  do cosmos dos outros. Então consegue olhar e ver seu próprio céu, estreladoquadrado, trigonado, complicado, mas apenas seu!


escrito em 19-10-2012

6 comentários:

Juan Yanes disse...

Eso debe ser así, como tú dices, Angela.(Hoy me lo has puesto muy difícil para que yo lo entienda). Si no hay nadie que nombra las cosas (las estrellas, el cosmos) nada existe. Lo dice un paisano tuyo, Paulo Freire: sin conciencia del mundo no hay mundo. No sé si lo dice así, pero más o menos.

Angela disse...

Meu caro Juan,
esta é parte de minha história. Acabo de picotar uns 3000 desenhos e anotações sobre a vida de pessoas que orientei por anos utilizando a psicologia e a relação delas com os símbolos celestes. Agora desejo o meu tempo, dedicar-me a decodificar o que é meu.

Meu pai nos fazia uma pergunta, ao estilo de Paulo Freire: - Se uma árvore cai no meio da Amazônia e pessoa alguma ouve ou vê, ela caiu?
Outra lembrança de meu pai, neste contexto: ele nos dizia que, para os antigos Egípcios (povo que estudou por toda a vida)Ao escrever o nome do morto em sua tumba,o faremos eterno. Enquanto for lido e nomeado, existirá.

Juan Yanes disse...

La paradoja de Freire, creo yo, tiene una tampa: la tampa es que sólo los humanos podemos "nombrar, decir, señalar, ver, observar". La propia palabra "existir" es humana. Si no hay un ser humano, hada existe, nada se observa,nada se ve...

¿Viste que colgué al nicaraguense? Es espléndido, rebosa imaginación literaria, es crítico... Ya le he escrito y me ha contestado de forma muy amable. Es buena gente, se nota eneguida.

Un abrazo Angela.

Angela disse...

Sim Juan! A palavra como a conhecemos, é humana. Quem sabe conseguimos falar, entender e viver a linguagem das plantas e dos animais, eu adoraria.
Enquanto isto não acontece, tentamos aprender algumas dos idiomas humanos e, mesmo assim, já é difícil.

Arguello é muito bom contista, desejo que muitos conheçam o que escreve.

dudv disse...

Lindo, angela.

Angela disse...

Obrigada Dudu! Sinto-me muito bem com sua simplicidade afetuosa.