sábado, 30 de junho de 2012

'Leituras'



 
Todo papel era motivo para um conto. Antes de um ano o meninolia’ o jornal, as bulas dos remédios da avó, as receitas e o missal da mãe. Qualquer papel estimulava sua mente fértil.
Achavam que seria escritor e não perceberam que, ante um obituário, havia contado sua prematura morte.
 
escrito em 30-06-2012
 

2 comentários:

dudv disse...

Caraca! Muito bem este tb.

Angela disse...

Fico contente que tenha compreendido.
Achei que podia estar confuso ou hermético.