sábado, 27 de agosto de 2011

A casa viva

Aldeia dos cortiços-Macedo de Cavaleiros PT- LuisCoelho em olhares.com

A aldeia sempre conhecera aquela casa fechada, escura e aparentemente vazia. Gerações passaram e ela se mantinha, ninguém sabia como. No dia em que Margelino morreu, sua alma resolveu penetrar na morada vazia e esclarecer o mistério. Ali se deparou com tudo que os aldeões rejeitavam em suas vidas. Tristezas, medos, penúrias de todos os feitios, partilhavam sua vida rejeitada para que a paz do lugar fosse aparente. Ao abrir portas e janelas, a alma compassiva liberou as entidades. Foi então que a casa caiu e a aldeia passou a ser como todas as demais. Já se podiam ouvir choros, gritos e gargalhadas pelas ruas onde antes, o silêncio amordaçava a vida.

escrito em 26-08-2011

4 comentários:

dudv disse...

Lindo, adorei o conto.

Angela disse...

sem saber como nem porque esta história se liga ao povo de minha ascendência materna.Estas coisas são estranhas, eu as deixo fluir.
obrigada Dudv.

Evilanne disse...

Adorei!

Angela disse...

obrigada Evilanne.
um bj.