quinta-feira, 17 de março de 2011

A melancólica

desenho A. Schnoor


Era assim. Entregue, ombros caídos, cabelo lambido e sujo, braços presos às costas rejeitando qualquer contato. via pra dentro. O Sol a incomodava; a Lua se fosse negra e a aridez da roça a paisagem preferida. No casebre onde morava cultivava cactos que, ao dar flor, iam para o lixo. Foi assim até sempre e, quanto mais arqueava e envelhecia, melhor se sentia. Era sua natureza e assim viveu, como nos contos de fada, venturosa para sempre.



escrito em 16-03-2011


2 comentários:

dudv disse...

Bonito desenjo e conto. Gostei da inversão de imagens. Mostra que há outros tipos de felicidade.

Angela disse...

Obrigada Dudu, é isto mesmo. Tudo tem várias facetas.
Apenas nos dias de hoje é que são cobradas e esperadas manifestações vãs e falsas de felicidade 100% todo dia! :D