domingo, 30 de janeiro de 2011

Magdala

imagem recebida por e-mail- desconheço o autor


Seria em minutos. Após muita pressão aceitou ir à clínica. Agarrava-se à bolsa como a uma bóia que servia para ocultar seu ventre ainda pequeno, mas tão sentido. Ela sempre fora contra o aborto, mas ele não queria o filho, pois não podia arriscar perder a confiança do bispo e dos paroquianos. Afinal, apenas havia cedido a uma leve tentação.


escrito em 29-01-2011

6 comentários:

José Moura Pereira disse...

Tivesse a tentação sido grande... Nem isso! Nem dá para ter pena do puto. Sorte a dele...

Angela disse...

Sorte José? O cara só estava preocupado com sua máscara sacerdotal! Um safado mau caráter como muitos!
Me diverti com seu peixinho preto!

dudv disse...

Tanta hipocresia... seu conto mostra isto de uma maneira bem sintética,

Angela disse...

sim,síntese é necessária em minicontos. Já hipocrisia, por mim, nunca, mas é comum no clero!

José Moura Pereira disse...

Azeda com o clero, Ângela!
A hipocrisia é comum na humanidade, e os elementos do clero são homens e mulheres. O que melhor caracteriza essas pessoas é terem um compromisso difícil de honrar cabalmente, mas dar relevo à falsidade nessas pessoas não me parece justo.

Angela disse...

José,
quem falou em hipocrisia foi o Dudv e confirmei.O problema com o clero é que eles têm poder e o usam muito mal. Ou Você desconhece as posições do Papa com relação à pedofilia dos seus pupilos? E a responsabilidade com a propagação da aids na África quando proibiu o uso da proteção...
Se Você aprecia o clero, é seu direito, mas respeite o meu.Para meu entender a fé pode ser um bem, a religião,uma praga que só faz mal à humanidade.