sábado, 22 de janeiro de 2011

Larva

Dagon2

Preciso limpar o depósito de mágoas e dores sepultadas em mim. São tantos os anos, que nem sei mais o que ali se encontra. Sinto incômodos, ora tristes, ora raivosos, que me queimam as entranhas. Às noites, as larvas caminham pelos lençóis, escapando do escuro profundo onde me habitam. Atrapalham-me o sono quando crescem e se agigantam e são tão grandes que conseguem sair às ruas. Ontem, alguém foi engolido na calçada e restaram alguns ossos. Desconhecem quem possa ter feito o estrago. Eu não!


escrito em 22-01-2011

2 comentários:

dudv disse...

Muito bom, quantos seres habitam dentro da gente.

Angela disse...

É... e te prepara pq com a idade eles retornam e desejam ter vida nem que seja assim, em contos! Feliz de quem pode simbolizar, não é?