sexta-feira, 3 de setembro de 2010

viagem

imagem do filme - o fim da linha


De pé no carro do metrô, a paisagem vista pela janelas tornou-se desconhecida, aos poucos sentiu que havia perdido seu destino. As estações passaram e não sabia mais aonde ia. À medida que o vagão esvaziava e enchia novamente, não reconhecia mais os sons nem a si mesmo. Perdido no espaço e no tempo, fosse aonde fosse, seria um pêndulo seguro apenas pela haste prateada, cordão umbilical do vagão, sem porto ou parto.


escrito em 02-09-2010

2 comentários:

dudv disse...

Profundo texto. Gostei especialmente.

Angela disse...

Obrigada Dudv!
às vezes, como o personagem, a mente se deixa levar no embalo e saem coisas assim...
bom ter gostado.