sábado, 21 de agosto de 2010

monstros internos


Ao deitar seu menino, a mãe o convencia de que os monstros não existiam, que eram fruto da imaginação. Quando ela se recolhia em seu quarto e olhava a roupa que usara à tarde em seus encontros, mal conseguia dormir vendo formas monstruosas nas dobras dos tecidos.

escrito em 21-08-2010

2 comentários:

dudv disse...

Sinceramente... eu gostaria de ter escrito este conto. Gostei muito.

Angela disse...

Obrigada Dudv!
alguns contos seus são primorosos e também fico com 'inveja' boa!