sexta-feira, 25 de junho de 2010

A vida no lixo

take-care-yourself-twoSophie Calle_226


Naquela tarde, um sentimento estranho o levou a revirar a lixeira buscando algo perdido que lhe servisse de alimento à alma. Ao cabo de alguns dias, ali estava o resumo de sua vida inútil e sem poesia, apenas destroços. Nada havia que trouxesse alento a uma existência ressequida. Levou tudo ao incinerador do prédio e, ao fechá-lo, a porta ficou presa por um envelope amarelado que ali estava sem como ou porque. A carta, embora tardia, alterava o sentido de sua vida. Em letras tímidas, a mulher que amava o convidava a conhecer seu filho.


escrito em 24-06-2010

2 comentários:

dudv disse...

Belo e delicado. Gostei.

Angela disse...

Obrigada Dudv! Tem sido custoso escrever.