terça-feira, 22 de junho de 2010

Mergulhos

paul-klee-the-goldfish


Filho de artistas, o menino passava horas diante das imensas telas espalhadas pela casa. Gostava especialmente de água e, muitas vezes entrava no grande Lago pintado pela mãe, chegando para o almoço com os cabelos pingando a toalha da mesa. Quando o Lago foi vendido, passou a visitar a Cachoeira do Bosque e a ama acreditava que os "tombos das pedras” fossem desculpas fantasiosas para justificar os joelhos esfolados em alguma travessura. Ao chegar à casa uma nova tela, o menino passou horas diante da pintura do fundo do mar. Nunca mais foi visto.


escrito em 21-06-2010

2 comentários:

dudv disse...

Amei este conto. Veio com tudo, parabéns!

Angela disse...

Obrigada Dudu!
Eu também gostei por conseguir escreve-lo mesmo do jeito como me sinto. Ainda não "vim com tudo", queira a vida que seja breve, este retorno.