terça-feira, 13 de abril de 2010

acordo tácito

david-lynch-e-isabella-rossellini


Na vida em comum daqueles dois, tudo ficava subentendido, acordado sem palavras. Se discordavam, engoliam suas opiniões em prol de uma suposta paz e entendimento conjugal. De tão taciturno, discreto, sério e triste, o casamento morreu.

escrito em 12-04-2010

4 comentários:

dudv disse...

Muito interessante, mostra que ficar só na superfície, não existe afeto verdadeiro.

Angela disse...

Eu não acredito em relação alguma sem discordâncias e até brigas! Mas talvez seja só meu ponto de vista.

Anônimo disse...

Num dá pra crescer na relação se não brigar de vez enquando. Afinal, são duas pessoas...

Angela disse...

Concordo, mas há quem acredite naquela história de que se tornarão um só, e dá nisto!