segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Nem só de pão vive o Homem

monumento à Mãe Preta-escultura de Julio Guerra-São Paulo



Garoto de rua, pedinte, malandro, pivete, ele era de tudo um pouco, mas tinha família: mãe doente e três irmãos menores. Domingo de muito calor, lavava roupa no chafariz da praça. Tinha comido quase nada e estava cansado. Olhando a estátua à sua frente, parecia que a via pela primeira vez. A mulher amamentava um menino, tinha seios fartos e aconchegantes.
Não resistiu. Escalou o monumento e se deitou sobre o corpo dela. Foi o melhor sono de sua vida. Até sonhou ter colo de mãe!

escrito em 26-10-2008

4 comentários:

eduardo disse...

Sinceramente... me emocionei.

Angela disse...

Eduardo
Eu também pois vi esta cena e não tinha como fotografar. O enredo eu criei mas o fato ocorreu sobre uma estátua na praia de Botafogo na direção da subida do viaduto da Farani.

ma disse...

Lindo.
Obrigado Angela, por compartilhar connosco os momentos fantásticos do seu espirito criativo.
Um beijo

Angela disse...

MA
Obrigada pela visita e, como sempre, as queridas palavras de carinho. Desculpe o tempo que teima em me escapar, sempre mais e mais rápido! um beijo grande.