segunda-feira, 28 de julho de 2008

Dejetos

imagem encontrada na web


Marido viajando, aproveitou a noite para compras. Era hora do shopping, já vazio, fechar, mas ela precisava ir ao banheiro.
No silêncio ecoante escuta uma briga feroz. Uma mulher chora e ameaça. Encolhe-se sobre o vaso sanitário e ouve, quase sem respirar. O banheiro é exclusivamente feminino, mas a outra voz parece de homem e o timbre, embora exaltado, lhe soa familiar.Com medo, procurou sair bem depois que se calaram, ao ouvir a porta fechar. Que discussão passional!
Em casa, custa a acalmar-se. Conversa ao telefone, mas só relaxa quando entra no quarto e vê o marido entre as cobertas. Aconchega-se feliz, pois não o esperava tão cedo. Devia estar cansado. Ela bem que podia ter ficado em casa para recebê-lo!
Pela manhã capricha no café, mas ele sai apressado alegando pendências da viagem.
Na TV, o Jornal noticia mais um crime. Vai desligar quando ouve e alerta: 'no Shopping' - Mulher encontrada esfaqueada no banheiro.Estremece. Quase chorando, pede que a vizinha venha até seu apartamento. À espera, tenta se recompor e recolhe o lixo para incinerar. O saco rompe ao se prender na maçaneta. Pelo buraco aberto, uma manga de camisa aparece- ensangüentada.


Escrito em 25-07-2008

4 comentários:

eduardo disse...

eletrizante

Angela disse...

Eduardo
Achei muito bom que vc.adjetivasse assim, este conto.Eu o escrevi longo e todo detalhado e depois fui cortando, mudando e achei que poderia ter tirado o impacto.
Parece que não. obrigada!

José Eduardo Lopes disse...

Concordo com o adjectivo, não conhecendo o conto inicial, acho que você só tirou o acessório, porque ele flui e termina de uma forma muito eficaz.
Abraço

Angela disse...

Obrigada José Eduardo!
Ainda bem que não cortei o principal! É que ando com saudades dos adjetivos e das descrições e nem sempre se consegue estar tãqo de bem com a concisão não é?
Já estive matando saudades em seu blog. gosto muito do que escreve e agora estamos juntos no Letrário!