quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Reflexos



Passava as tardes à mesa do seu café preferido, observando pessoas e registrando idéias em seu pequeno caderno. A partir destas notas seus personagens criavam corpo e vida. Ficava tão absorto, que jamais percebeu ser objeto de inspiração e pesquisa do escritor famoso que sentara à sua frente por tantos dias.

Escrito em 02-02-2008 - 18h41' HV. RJ.

5 comentários:

Doses de Bruno Mocelin disse...

Poxa, muito bom. Criativo.
Agora me pergunto se servi de inspiração alguma vez, quando me vêem sentado na praça ou no ônibus escrevendo alguma coisa sobre alguém.
Um ótimo dia, Angela.

dudv disse...

Todos nós podemos servir de inspiração. Gostei.

Angela disse...

Bruno e Dudv!

Obrigada por estarem aí!
às vezes, quando "bisbilhoto" pessoas na rua, nos restaurantes etc, fico pensando se não estou invadindo, se elas imaginam que estão sendo "imaginadas". Mas, é assim...

125_azul disse...

Dinda, essa foto não faz vc lembrar daquele nosso café em Paris?
Aiiiii, bateu uma saudade!
beijinhos

Angela disse...

A mim também 125 azul!