domingo, 3 de fevereiro de 2008

Bate papo com Drummond

escultura de Carlos Drummond de Andrade-praia de Ipanema.RJ.


Por mais que ele explicasse as razões de suas convicções políticas, o poeta retrucava com versos. As rimas alimentavam de tal modo o coração do pobre louco, que ele esquecia as dores no estômago vazio. Só não entendia porque o mesmo não acontecia ao conversar com as estátuas dos políticos.

Escrito em 02-02-2008 às 17h04'HV-RJ

3 comentários:

dudv disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dudv disse...

Fantástico.

Angela disse...

Dudv
Fantástica deve ser a mente deste cara! Conversando com C.Drummond de Andrade em bronze e alma!