quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Bem me Care

cadê minhas-pilulas-desenho de Pedro de Helena-São Paulo



Sem trabalho e cheio de problemas, a pressão arterial andava descontrolada. Para prevenir, o médico acrescentou um remédio novo aos tantos que já tomava. Telefonou à farmácia e pediu a nova e potente droga salvadora. Ao receber o rapaz da entrega, caiu morto à porta da casa apertando entre os dedos a nota de caixa. O valor da compra excedia seu mísero seguro desemprego.



escrito em 8-11-2007

5 comentários:

125_azul disse...

Valha-me Deus! Eu também vou começar um remédio novo para a hipertensão, acho mais prudente mandar meu Azulão buscar à farmácia!!!
Beijo

Priscila Lopes disse...

Um "soco no estômago". Ótima micro-narrativa.

E vou adiante na leitura...

dudv disse...

Nossa... muito bom. Conto intenso e com muita pressão.

Sofia disse...

Boa micronarrativa... interesso-me cada vez mais por este género literário a que chamo, muitas vezes, poético. A ver se também sou capaz... beijinhos

Angela disse...

Querida 125_azul
Se possível não o faça! especialmene se for algum beta bloqueador que te fará escrava para o resto da vida! A tal terapia que vc. tem feito na Maiaana(é assim?) deve ser bem mais saudável e eficaz e não chega a ter o valor tão exacerbado das novas químicas!

Obrigada Priscila!
espero que não tropece... nem tudo é bom.

Dudv
Que pressão! alta...!

Oi Sofia

Parece uma cachaça, acredite! Poético ou não, fica nas entranhas como uma brincadeira boa e viciante. Tenta, vai conseguir, com certeza! Queremos cada vez mais adeptos!
Obrigada pela visita.